A Etnia Polonesa

A Sociedade Cultural Polonesa Karol Wojtylla foi criada em 02 de maio de 1987 e representa a Etnia Polonesa na cidade de Ijuí, e nas atividades realizadas pela União das Etnias de Ijuí. A sua casa típica, Dom Polski, foi inaugurada durante a III EXPO-IJUÍ e I FENADI em outubro do mesmo ano. A arte e a cultura são preservadas através da língua, religiosidade, da gastronomia, do artesanato e do folclore.  

A partir da instalação da “Colônia Ijuhy” no ano de 1890, os poloneses fazem parte da história de Ijuí. Eles desbravaram as matas que margeiam o rio que empresta o nome ao município, onde construíram suas casas, abriram roça, colhendo o fruto das sementes lançadas. Desde então, vêm contribuindo com a produção agrícola e em outras áreas para o desenvolvimento do município. Logo que chegaram à antiga Linha 1, (e linhas adjacentes) hoje distrito Santana, os poloneses organizaram-se socialmente fundando a Sociedade Polaca de Santa Anna, em polonês Towarzystwo Polskie in Sw. Anny.

Construíram igrejas, escolas, ajudaram a abrir estradas e construir pontes. No período que vai até o ano de 1987, ano da organização do movimento étnico em Ijuí, os poloneses se mantiveram unidos em seu núcleo populacional preservando a religião, a língua, os usos e costumes dos antepassados.E foi por este motivo, que o primeiro desafio para a organização da FENADI por parte da Comissão da Retomada do Desenvolvimento de Ijuí, foi lançado aos poloneses de Vila Santana, em reunião realizada no final de abril de 1987. Na oportunidade estiveram presentes o Professor Paulo Afonso Frizzo, da Comissão de Cultura; Valdir Heck, então vice-prefeito, Padre Jerzy Sowa, Antônio Garzella,presidente da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, e as lideranças da comunidade compostas por Wanderlei Antônio Megier, Lindolfo Rucks, Vera Gombar Meiger e a professora Marli Terezinha Meiger Siekierski. Este grupo ficou responsável paramotivar a comunidade na organização dos poloneses e participação da Expo-Ijuí e FENADI. No dia 2 de maio de 1987 em reunião realizada na Matriz Sagrado Coração de Jesus de Vila Santana foram definidas as comissões para a organização do evento. Os estatutos foram aprovados no dia 17 de julho de 1988.

De acordo com os estatutos são sócios fundadores: Delmar Luiz Leviski, João Luiz Karnikowski, Albino Kusiak, ladislau Wierzbicki, Luiz Kusiak, Francisco Sikacz, Estanislau Przybitowicz, Ernani Kusiak, Luiz Megier, Ceslau Meiger, Vera Meiger, Pedro Zientarski, Irene Zientarski, Jacinta Megier, Loreni Mireski, Joaquim Jacoboski, Vilmar Megier, José Oiczenasz, MarioSchimanski, Ramão Kopezinski, Realda Kopezinski, Jorge Sowa, Geraldo Jacoboski, José Siekieski, Marli Meiger Siekierski, João Siekierski, Orlando Maurer, Carmem Maurer, Estevo Megier e Luis Kosloski. Além destes, muitos outros descendentes de poloneses participaram das primeiras ações para a organização da etnia polonesa no município.Maiores informações nos livros de Atas da Matriz Sagrado Coração de Jesus de Vila Santana, da Sociedade Cultural Polonesa Karol Wojtylla, da Sociedade Sant’Anna, nos registros do Grupo Folclórico Polonês Piast, Grupo Folclórico Polonês Krakus, Grupo Infantil Mazurka e Grupo de Canto Zgoda. 

Nas finalidades da Sociedade consta: Promover, cultivar e pesquisar a cultura, os costumes dos imigrantes e descendentes de imigrantes poloneses no município de Ijuí e região; Promover atividades cívicas, artístico-culturais, sociais, desportivas e folclóricas; Organizar grupos de historiadores, danças, coral, cânticos populares e religiosos, teatro e música; Formar uma biblioteca e museu polonês, estimulando a coleção e guarda de objetos, livros e documentos, assim como preservar as construções com arquitetura polonesa e propagar novas construções no estilo; Manter intercâmbio cultural com as sociedades congêneres.

A casa polonesa chamada Dom Poski foi construída inspirada em modelos arquitetônicos da zona rural da região de Cracóvia, Polônia. A edificação foi possível graças a doações dos descendentes de poloneses e auxílio do poder público municipal. O trabalho de construção em forma de mutirão foi liderado por Ladislau Wiezbicki, Pedro Zientarski, Lindolfo Rucks, Antônio Garzella, Luiz Kusiak, Albino Kusiak além de Francisco, Luiz, Vilmar, Antônio e Geraldo Megier e muitos outros descendentes de poloneses. Os detalhes no encaixe da madeira, na colocação das tabuinhas da cobertura, além do cercado do jardim, seguiram orientação do padre Jerzy Sowa, da Polônia e que atuava como vigário da Matriz Sagrado Coração de Jesus de Vila Santana.  inauguração da casa polonesa foi realizada oficialmente no dia 12 de outubro de 1987 com hasteamento das bandeiras brasileira e polonesa, seguida de missa concelebrada.

Etnias

Afros

Centro Culturais Herdeiros de Zumbi

Alemães

Centro Cultural 25 de Julho Ijuí

Árabes

Casa de Cultura Árabe de Ijuí

Austríacos

Centro Cultural Austríaco de Ijuí

Espanhóis

Centro de Cultura Espanhola

Gaúchos

Associação Tradicionalista Querência Gaúcha

E do velho mundo, deixando quimeras, Partiram na espera do recomeçar… Da saga imigrante, nós somos semente E honrar esta gente nos põe a cantar!⁠⁠⁠⁠
(Chico Roloff)

Siga nas Redes Sociais

União das Etnias de Ijuí – Copyright © 2016 – 2020. Todos os direitos reservados.